Os últimos gibões

altUm estudo conduzido pela Sociedade Zoológica de Londres permitiu compreender um pouco melhor o ritmo de declínio das populações de gibão de Hainan, o símio mais ameaçado do mundo: restam apenas 26 a 28 indivíduos, em quatro grupos separados, um dos quais só foi descoberto recentemente.


( 1 Voto )
 
À beira da extinção

altNos últimos tempos, têm vindo a público notícias preocupantes que dão conta da contagem decrescente para uma nova extinção em massa, ou seja, para o fim do mundo que conhecemos. Será mesmo assim? Que provas existem? Quais são as causas e as previsíveis consequências? Haverá forma de evitar a catástrofe?


( 1 Voto )
 
Manhas bestiais

alt

Os corvos da Nova Caledónia (Corvus moneduloides), que habitam em algumas ilhas do Pacífico Sul, desenvolveram a habilidade de extrair dos seus esconderijos os insetos de que se alimentam. Desde há anos que se observa que empregam finos pauzinhos com os quais “pescam” as suas vítimas. Agora, uma equipa de investigadores da Universidade de Saint Andrews (Escócia) descobriu que, depois de os usarem, os guardam cuidadosamente entre as patas. Assim, podem comer sem problemas, e depois continuar a colher bichos com a sua “cana”, sem terem de procurar outro pauzinho.


( 0 Votos )
 
Repórteres do mar

altO certame realizado desde 2005 pela Escola Rosenstiel de Ciência Marinha e Atmosférica, dependente da Universidade de Miami (Florida), converteu-se num celebrado ponto de encontro para os aficionados da fotografia subaquática.


( 1 Voto )
 
Os fantasmas de Darwin

altAbacates, papaias e outras frutas suculentas parecem deslocadas nos atuais ecossistemas, mas a ciência desvendou o sentido da sua existência: serviam de alimento a gigantescos animais do Pleistoceno (os fantasmas), que dispersavam assim as suas sementes.


( 1 Voto )
 
A casa é dos micróbios

altUma vizinhança exclusiva de bactérias convive connosco nas nossas casas. Foi o que descobriu a chamada “ecologia dos ambientes construídos”, uma nova disciplina científica que estuda a microfauna doméstica para melhorar a nossa qualidade de vida.


( 0 Votos )
 
Azul sombrio

altUma investigação coordenada por Douglas J. McCauley, ecólogo da Universidade da Califórnia em Santa Bárbara, publicada na revista Science, revela um diagnóstico trágico sobre o futuro a médio prazo da biodiversidade marinha: o que se avizinha, segundo as conclusões do estudo, é uma extinção em massa.


( 0 Votos )
 
O clima dos «records»

altFrios e calores insuportáveis, chuvas bíblicas, furacões selvagens, secas infindáveis... Eis uma seleção das marcas meteorológicas mais impressionantes dos últimos tempos.


( 1 Voto )
 


Pág. 3 de 43

GuiaTV

Escolha abaixo o canal.

Canal:

Data:

You need Flash player 6+ and JavaScript enabled to view this video.

Playlist: 0 | 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10 | 11

Your are currently browsing this site with Internet Explorer 6 (IE6).

Your current web browser must be updated to version 7 of Internet Explorer (IE7) to take advantage of all of template's capabilities.

Why should I upgrade to Internet Explorer 7? Microsoft has redesigned Internet Explorer from the ground up, with better security, new capabilities, and a whole new interface. Many changes resulted from the feedback of millions of users who tested prerelease versions of the new browser. The most compelling reason to upgrade is the improved security. The Internet of today is not the Internet of five years ago. There are dangers that simply didn't exist back in 2001, when Internet Explorer 6 was released to the world. Internet Explorer 7 makes surfing the web fundamentally safer by offering greater protection against viruses, spyware, and other online risks.

Get free downloads for Internet Explorer 7, including recommended updates as they become available. To download Internet Explorer 7 in the language of your choice, please visit the Internet Explorer 7 worldwide page.